Luperce Miranda (28/7/1904 - 5/4/1977)

LUPERCE MIRANDA nasceu em Recife, onde o pai montou uma orquestra infantil com os 11 filhos. Assim, desde cedo, Luperce aprendeu a tocar bandolim, tendo composto a primeira música aos 15 anos. Também tocava piano, e na juventude foi pianista de uma confeitaria de Recife.

Na década de 20 integrou o grupo Turunas da Mauricéia, que foi para o Rio de Janeiro em 1927, provocando a primeira "onda nordestina" que chegou à então capital do país, provocando reações no cenário musical.

Luperce não viajou com o grupo, mas teve músicas suas gravadas pelos Turunas no Rio. Ficou em Recife e montou outro conjunto, o Voz do Sertão, e só então viajou para o Rio. Gravou algumas músicas com o novo grupo até formar, em 1929, o Regional Luperce Miranda, que atuou em rádios e na gravadora Parlophon.

Na década de 30 acompanhou Mário Reis, Carmen Miranda e Francisco Alves. Nos anos seguintes trabalhou nas rádios Mayrink Veiga e Nacional até 1937, quando voltou para Pernambuco. De volta ao Rio nos anos 50, gravou discos e excursionou pela Europa.

Um dos maiores bandolinistas do país, criou uma escola de música especializada em instrumentos de corda. Em 1994 o bandolinista Pedro Amorim lançou o CD "Pedro Amorim toca Luperce Miranda", dedicado à obra do compositor, que inclui "Reboliço", "Martelando", "Querida", "Picadinho à Baiana".

Clicky Web Analytics