Como construir seu bandolim

por Daniel Fortune

Introdução

Talvez você já tenha pensado em fazer seu próprio bandolim. Talvez por falta de dinheiro, talvez pelo desafio ou mesmo para ter em suas mãos um instrumento feito por você mesmo. O relatório que segue pode ser uma indicação do caminho a seguir ou entender o processo de construção.

A bibliografia sobre o assunto é escassa. Há vários livros que explicam como fazer um violão e um que explica como fazer um bandolim no estilo norte-americano, com tampa e fundo cinzelado. Mas informações sobre o bandolim brasileiro...

Cada um vai ter uma opinião diferente sobre a dificuldade do mesmo projeto. Realmente eu não achei que foi tão difícil fazer o primeiro bandolim e o segundo foi mais fácil ainda. Enquanto escrevo esse texto estou fazendo o terceiro e estou achando ainda mas fácil do que o segundo. Também o tempo para completar as fases está melhorando, bem como a qualidade do trabalho.

Se você tem realmente vontade e fizer um planejamento metódico, vai achar o projeto muito gratificante. E, principal, vai acabar com um instrumento do estilo, tamanho, cor, madeira, som, tudo exatamente como você gosta.

Antes de começar

Antes de começar vai ser preciso investir algum tempo levantando informações, decidindo sobre os materiais, enfim, planejando o trabalho.

Eu recomendo que você leia um livro sobre fabricação de violão clássico, pois há muitas coisas em comum nos processos de construção. Além disso, você terá explicação sobre como usar as ferramentas e sobre técnicas que ajudam simplificar o processo.

Para saber mais sobre o lado técnico, os livros são raros a achar e podem ser muitos caros. O livro An Introduction to Scientific Guitar Design, de Donald Brosnac, tem bastanteS informações e não custa muito. Com informações sobre o mecanismo, é possível experimentar com o desenho para mudar as características que têm efeito no som.

Escolha da Madeira

Assunto complicado. Precisa de muito tempo só para tocar na superfície. Normalmente, as informações são baseadas em violão. Provavelmente existem mais madeiras boas para fazer o bandolim que não chamam muito a atenção porque o tamanho da árvore não dá certo para fazer um violão.

O Brasil tem a madeira mais valorizado no mundo para fazer instrumentos; o jacarandá (dalbergia nigra). Hoje o jacarandá está praticamente em extinção e é quase impossível de se achar fora do Brasil. Os programas de reflorestamente só dificultados pelo tempo que uma árvore desse tipo leva para ficar adulta, mas estamos torcendo!

É bom lembrar que depois do acabamento todas as madeiras escurecem um pouco.

Abaixo vão algumas sugestões.

Madeira de faixa e fundo
• East Indian Rosewood (dalbergia latifolia) - Arroxeada, fácil de dobrar e usar. Já está reposicionando o jacarandá como madeira mais usada.
• Honduran Rosewood (dalbergia stevensonii) - Arroxeada mais clara, fácil de dobrar, pesada, e muito dura.
• Cocobolo (dalbergia retusa) - Cor mista de preto e laranja, muito pesado, muito duro, e difícil de usar.
• Voamboana Rosewood (dalbergia baronii) - Muito parecida com o jacarandá. Difícil de dobrar.
• Southeast Asian Rosewood (dalbergia oliverii) - Cor de tijolo, fácil de dobrar e usar.
• African Blackwood (dalbergia melanoxylon) - Preta, muito pesado, muito dura, muito difícil de dobrar e usar, além de cara. Mais usada para instrumentos de sopro.
• Mahagony (swietenia macrophylla) - Marrom, um pouco dificil de dobrar mas fácil de usar.
• Bubinga (guibourtia espécies) - Cor de rosa/marrom claro, muito dura, pesada, e difícil de dobrar.
• Pau Ferro (machaerium villosum) - Bem conhecido e muito usado no Brasil.
• Maple (acer pseudoplatanus) - Cor de louro, muito fácil de usar. Mais usada em bandolins no estilos norte-americanos.

Madeira da tampa
• Pinheiro suíço (picea excelsa, picea abies) - Marfim, muito caro.
• Englemann spruce (picea englemanii) - Parecido com pinheiro suíço em cor e som.
• Sitka spruce (picea stichensis) - Mais forte do que os outros pinheiros. Bom para instrumentos de cordas de aço.
• Western Red Cedar (thuja plicata) - Mais usado na construção de violão clássico. É um pouco fraquinho, com cor escura e som caloroso.

Ferramentas
É possível fazer um bandolim só com ferramentas manuais; eu fiz meu primeiro assim. As ferramentas elétricas ajudam em completar o serviço mais rápido e aumentam um pouco a precisão. O mais importante é que você saber usar bem as ferramentas que tem e amolá-las corretamente.
Abaixo estão as ferramentas necessárias.

• Serrote de costas (os do estilo japonês são ótimos);
• Serra de arca;
• Grosa de madeira (fina e grossa);
• Cinzel (vários tamanhos);
• Raspadeira (fina e grossa);
• Furadeira com rotação manual (para mais precisão);
• Plaina de mão (pequena e grande);
• Grampos (vários tamanhos);
• Lima (vários tamanhos finos).

3
4

O braço

1A construção do braço é a fase mais demorada e a que exige mais atenção. Por isso, recomendo que seja feita primeiro.

O braço começa com só um pedaço de madeira de tamanho 70mm x 20mm x 600mm. Faça

um corte de 10°~15° e una topo-a-topo para localizar a cabeça no ângulo certo. Faça o salto do braço colando dois pedaços opostos da cabeça.

Depois, faça o desenho e comece a tirar a material que sobra, desbastando a madeira. Se decidir colocar um suporte dentro do braço para evitar que ele dobrar, tem que colocar antes de tirar a sobra. É possível tirar muito material com o serrote e logo vai reconhecer a forma do braço. Use raspadeira, cinzel, e lima para terminar com os detalhes da forma. Continue medindo sempre, para assegurar que os lados fiquem simétricos ao eixo do braço.

Clique aqui e copie fotos desta fase da construção.

As faixas

Depois do braço, as faixas. A única dificuldade é a atenção necessária para dobrar as faixas certas e iguais. Para dobrar as faixas você vai precisar de um tubo de ferro com diâmetro de 75mm~100mm e uma fonte de calor.

Normalmente a fonte de calor é uma lâmpada de luz ou uma tocha.

Coloque as faixas dentro da água quente por no mínimo 20 minutos. Esquente bem o tubo. Quando colocar a madeira molhada no tubo quente, faça o vapor da água entrar na madeira, para que fique relaxada e mais fácil de dobrar.

Pressione a madeira contra o tubo para começar de dobrar. (Recomendo que pratique várias vezes antes de usar uma madeira boa, para aprender a técnica.)

Usando o desenho, verifique cada dobradinha; é mais fácil fazer certo a primeira vez do que consertar depois errar.

A grossura das faixas entre 2.5mm~3.5mm dá o melhor resultado.

2

O tampo e o fundo 8

É possível fazer juntos o tampo e fundo. Una os lados e colocar em frente a uma lâmpada. Se for possível ver a luz entre os lados, acerte a junta com a plaina de mão para ficar mais reta. Una os lados com cola e deixa secar. Usa a plaina de mão para ajustar a grossura. Depois a raspadeira para tirar as marcas da plaina e deixar bem liso.

Continue medindo o tempo todo para fazer todas as partes iguais em grossura.
Use folha de lixa até 150 para o tampo e até 320 para o fundo.
Fazer o furo de som no tampo com navalha.

Os suportes e estrutura do tampo são um pouco complicados. Recomendo olhar dentro de um bandolim que você gosta e tentar fazer parecido. As linhas do tampo influenciam na sua resistência e no som do instrumento

Clique aqui e copie mais fotos desta fase da construção.

A escala

Recomendo comprar a escala já feita para não ter que cortar todas as fendas. Comprando, você só precisa cortar a forma certa e colocar os trastes. Use martelo e bata o fio dos trastes na escala. Corte e nivele com os lados usando lima.

Lixe com folha de grau 600.

Juntando as peças

7

Depois fazer as peças o resto é muito fácil. Una as faixas ao braço por dois cortes no lado do braço , como nos violões clássicos, e cole. Coloque o tampo e fundo linha do contorno com lápis. Corte fora do contorno e cole com as faixas. Depois, nivele com as faixas usando raspadeira grosa e lima. Cuidado para não tirar material demais das faixas. Bote a escala e cole. É possível colocar as tarrachas e depois botar a escala no instrumento.

Faça o acabamento a seu gosto e termine colocando as ferragens.

Cliqueaqui e copie mais fotos desta fase da construção.
O produto final

5
6

Daniel Fortune é bandolinista.
Norte-americano, vive em Houston, Texas, e gosta de música brasileira como poucos.

Clicky Web Analytics